Blogs e Colunas


Medicina Natural
Medicina Natural

Cataia ou Casca-D’Anta: Você conhece essa planta, símbolo do povo Caiçara?

O mundo está de olho na Casca-D´Anta, Cataia, Para-Tudo, Canela-de-Winter, ou Pimenta-do-Brejo. Vamos cuidar para não ser extinta!
22/03/2022 às 16:42

Científico: Drimys winteri

Botânica: Winteraceae 

Árvore sagrada dos povos Mapuche (povos indígenas da Argentina e Chile), aparece nos jardins botânico da Europa, espontânea na Argentina, Chile e em Santa Catarina, assim como em outros estados brasileiros. Ela gosta de altitude e clima frio. Em SC, encontramos na região do Contestado, de altitude em torno de 1.000 m. Encontrei com facilidade nas matas do município de Calmon -  provavelmente o monge João Maria usava essa planta nas suas curas - e existe um viveiro no município de Atalanta, produzindo mudas para reflorestamento.

A Cataia pode ser extinta do nosso ambiente, por causa do desmatamento descontrolado, por isso, precisamos ter um manejo sustentável na área do seu habitat natural e produzir mudas para incentivar o reflorestamento. 

Conhecida na região, também, com o nome popular de Pau-Para-Tudo, é uma árvore de 15m de altura. A madeira nobre é usada na produção de instrumentos musicais e móveis. Matéria-prima para produtos como o whisky (uísque) caiçara, cachaça caiçara, feitos com as folhas desidratadas - outras bebidas também podem ser desenvolvidas, assim como temperos. A casca e as sementes podem ser transformadas em pó e usada como substituto da pimenta do reino.

Na medicinal popular, essa planta é uma farmácia viva, tem propriedades medicinais surpreendentes. Ela também pode ser uma fonte de renda na diversificação de produtos da agricultura familiar. 


UMA VERDADEIRA FARMÁCIA

As partes usadas são as folhas, casca e sementes, com propriedades estomáquica, usada em cataplasma e banhos para dores reumáticas. Tem ação bactericida, utilizada para limpar e cicatrizar feridas. É tônica, antidiarreica, anti-escorbuto (doença para a falta de vitamina C no organismo), pois a casca é rica nessa vitamina. É antifebril, antitumoral, protetora da próstata, depurativo das vias urinárias, ajuda na digestão, em inalação para sinusite, anti-hemorrágico é um bom remédio para o ovário policístico. 

Também ajuda a expulsar vermes intestinais, tem uso veterinário para lavar feridas de animais e tem reputação de ser afrodisíaca. Essa planta é uma verdadeira panaceia, por isso é conhecida como Para-Tudo. 

A casca, usada em pequena dose na cachaça, estimula o apetite. É carminativa e expectorante. Seus princípios ativos mais marcantes são flavonoides, taninos, pectina, quercetina, eugenol (usada como anestesia pelo povos tradicionais o eugenol). 

CUIDADO

O uso na culinária e como remédio requer cuidado e indicação de um profissional conhecedor de plantas medicinais,  embora parece ser uma planta segura de usar, é contraindicada na gestação e amamentação.

CURIOSIDADE

Reza a lenda - e eu gosto das simpatias, que deve ser plantada no jardim do novo casal, para trazer paz e felicidade. Linda e ornamental, vai, sim, trazer alegria para a família. Além disso, fazendo isso já estamos valorizando o cultivo e atraindo abelhas.

__________________________________________
Atualmente, ministra palestras em diversos eventos, trabalha em parceria com pastorais, movimentos populares, universidades e com capacitação de profissionais de saúde em diversos municípios catarinenses. Foi professor titular da Unisul, do curso de Naturologia, e é professor convidado, há mais de 10 anos, da UFSC, na capacitação da disciplina optativa de Plantas Medicinais para Farmácia e Medicina.
Aléssio dos Passos Santos é professor, palestrante e cultivador de plantas medicinais. Licenciado em Estudos Sociais, especialista em Educação Ambiental, pela Udesc, e pós-graduado em Gestão da Educação, pela Uniesc. É coordenador da Farmácia Viva Itinerante, professor de fitoterapia, pesquisador etnobotânico e funcionário público estadual. Montou o primeiro jardim medicinal da Alesc e tem mais de 700 espécies de plantas em seu quintal, na Lagoa Da Conceição, em Floripa.

MAIS DO COLUNISTA

  • 1