Publicidade
Comunidade, Educação - 20 Ago 2013 14:57

Fechamento das Apaes pode comprometer ensino de alunos

Profissionais da Apae alegam que escolas de ensino regular não estão preparadas para receber alunos especiais
Por: Carol Debiasi
Visualizações: 2438
Fechamento das Apaes pode comprometer ensino de alunos Diariamente a Apae de Xanxerê atender 149 alunos entre crianças e adultos (Foto: Carol Debiasi)

Alunos, professores e pais das Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) se mobilizam em todo país contra o fechamento das instituições por conta de um projeto que tramita no Congresso Nacional, que se for aprovado irá acabar com a instituição até 2018. O assunto ganhou destaque depois que o Ministério da Educação divulgou o Plano Nacional de Educação (PNE), onde determina que alunos com deficiência estudem em escolas regulares, sem a opção de escolherem por escolas especiais com as Apaes.

Essa concepção de pensamento não é aprovada por pais de crianças e adultos que precisam dos serviços das Apaes. Em Xanxerê, desde 2010, quando foi implantada a lei de inclusão que obriga alunos especiais a frequentarem o ensino regular com idade entre quatro a 17 anos, mais de 60 alunos da Apae tiveram a experiência. Desses, 20 continuam com os atendimentos de fisioterapia, fonoaudióloga, terapia ocupacional, psicologia, psiquiatria, médico, odontologia e assistência social. Além disso, 12 com baixos níveis funcionais voltaram a frequentar a Apae, duas vezes por semana.

Muitos pais estão preocupados com a informação de que as Apaes poderão ser fechadas (Foto: Carol Debiasi)Muitos pais estão preocupados com a informação de que as Apaes poderão ser fechadas (Foto: Carol Debiasi)


Preocupação dos pais dos alunos especiais
De acordo com a coordenadora pedagógica da Apae de Xanxerê, Rosemeri Fátima Cousseau, os pais estão preocupados com a informação de que poderá ser fechada todas as Apaes do país. Segundo o que defende a Apae de Xanxerê, o professor em sala de aula regular não está preparado para atender essas pessoas com deficiência, sendo que muitas delas regridem por não ter um acompanhamento de profissionais especializados.

Coordenadora pedagógica da Apae de Xanxerê, Rosemeri Fátima Cousseau avalia propsota do MEC (Foto: Carol ebiasi)Coordenadora pedagógica da Apae de Xanxerê, Rosemeri Fátima Cousseau avalia propsota do MEC (Foto: Carol ebiasi)

- Há três anos, todos os alunos nesta faixa etária foram obrigados a frequentar ensino regular e foram prejudicados. No ano passado foi visto alguns casos que começou a dar problemas e abriu-se uma brecha para os de baixos níveis funcionais, para mantê-los na escola e frequentar duas vezes por semana a Apae. A gente percebe que não é a mesma coisa no ensino regular – salienta.

Meri concorda que é preciso inclusão, como afirma o MEC, porém, descorda da maneira como foi imposta, pois obriga as instituições a recusar o aluno especial. Agora, com a situação de que poderá fechar as instituições, complicou-se ainda mais, o que tem apavorado os pais dos alunos.


Assunto gerou manifestação de vereador na Câmara
O vereador Ivan Marques (PSD), comovido com a realidade das Apaes, apresentou na sessão da segunda (19), uma Moção de Repúdio sobre o fechamento das instituições. Ivan revelou dados do Ministério da Educação com relação ao atendimento às crianças com necessidades especiais nas instituições especializadas. De acordo com ele, em 2003 havia 5.070 crianças portadoras de alguma deficiência nas escolas de rede básica e em 2011 esse número chegou a 23.253.

Vereador Ivan Marques (PSD) apresentou na Câmara uma Moção de Repúdio sobre o fechamento das instituições (Foto: Carol Debiasi)Vereador Ivan Marques (PSD) apresentou na Câmara uma Moção de Repúdio sobre o fechamento das instituições (Foto: Carol Debiasi)

- O que está ocorrendo é que há muitas informações com relação a esse assunto. Uns falam em fechamento, outros falam em apenas como um setor que vai acompanhar na sequência dos alunos. A ideia do MEC é fazer com que os alunos sejam socializados, integrados na educação infantil. O que vai ocorrer se esse projeto passar pelo congresso e for aprovado? O repasse do Fundeb vai acabar sendo extinto e as matrículas não poderão mais ser feitas nas Apaes e até 2016 nós não teremos mais a participação direta desse fundo as instituições que hoje trabalham com essas crianças. Isso vai trazer um problema muito sério, pois temos crianças totalmente dependentes e que devem sim ser atendidas integralmente nas Apaes, com profissionais especializados ao lado delas, dando toda atenção necessária – comenta Ivan.

De acordo com a direção da escola especial, há anos o recurso distribuído pelo Fundeb não é repassado, pois as Apaes não são mais consideradas escolas.


Atendimento aos alunos na Apae
A coordenadora pedagógica explica que nos primeiros anos de instituição, ensinava aos alunos atividades para conseguir ajudar os pais, em casa. Passado um tempo, as Apaes foram intituladas como escolas e nesse período passou a ser parâmetros pedagógicos. Agora, novamente voltou-se a trabalhar o currículo funcional, na qual trabalha a auto estima e autonomia dos alunos.

É na Apae que os alunos recebem atendimentos de profissionais como fisioterapia, fonoaudióloga, terapia ocupacional, psicologia, psiquiatria, médico, odontologia e assistência social, além da atendimento pedagógicoÉ na Apae que os alunos recebem atendimentos de profissionais como fisioterapia, fonoaudióloga, terapia ocupacional, psicologia, psiquiatria, médico, odontologia e assistência social, além da atendimento pedagógico

- Temos uma casa de Atividades de Vida Diária (AVD), na qual eles aprendem a arrumar a cama, aprendem a se servir nas horas das refeições, a vestir uma roupa, a tomar banho sozinhos, até mesmo preparar um café e isso é fundamental para a vida diária deles – salienta.


Mobilização nacional
No último fim de semana, a federação das Apaes do Estado esteve em Abelardo Luz conversando com representantes das instituições, inclusive Xanxerê participou. De acordo com Meri, a Apae do município não é favorável ao fechamento por perceber que município, Estado e país não estão preparados para receber alunos especiais.

- Nas escolas regulares não se tem um programa específico que é feito nas Apaes, e se caso ocorresse o fechamento das instituições, os pais terão que marcar através de SUS atendimento que eles tem aqui hoje, como fonoaudióloga e fisioterapia, e quanto tempo isso iria demandar? Sem contar que vai agravando cada vez mais. Estivemos conversando com a federação para que uma grande mobilização ocorra envolvendo alunos, pais, professores e toda comunidade. Estamos pensando no aluno, esse ser que precisa de ajuda e que lá fora infelizmente não vão ter – comenta.


Próprios alunos se mobilizam
Francielli Casaril estuda na Apae há mais de 12 anos. Ela é presidente da Auto Defensoria e Luta pelos Direitos dos Deficientes Físicos. Ela tem 30 anos e é contrária ao fechamento da instituição, pois diariamente frequenta o espaço para realizar atividades.

- Eu sou contra o fechamento. Eu não tenho muitos lugares para ir por causa da acessibilidade, às calçadas são ruins, não tem rampas adequadas e eu gosto daqui, trabalho na oficina, mas faço um pouco de tudo – comenta.

A escola especial de Xanxerê é mantida pela Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais. Os salários dos motoristas são pagos pela prefeitura. Os 21 professores são pagos pelo governo do Estadual e os 12 técnicos e mais sete funcionários são mantidos pela própria associação. Ao todo, 40 funcionários trabalham na Apae de Xanxerê. Atualmente a instituição atende diariamente 149 alunos entre crianças e adultos.

Francielli Casaril frequenta a Apae e é presidente da Auto Defensoria e Luta pelos Direitos dos Deficientes Físicos (Foto: Carol Debiasi)Francielli Casaril frequenta a Apae e é presidente da Auto Defensoria e Luta pelos Direitos dos Deficientes Físicos (Foto: Carol Debiasi)


Imprimir
Enviar para um amigo
Assinar

Envie esta notícia para um amigo



Comente
esta notícia

Ao efetuar um comentário, o seu IP (Internet Protocol) será gravado e poderá ser utilizado para identificar o usuário que inseriu o mesmo.
Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor do comentário e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais do Tudo Sobre Xanxerê.


Outros comentários

noresults

Caso o comentário acima for abusivo ou seu nome for utilizado indevidamente, denuncie.

Notícias por data:

a
Voltar